'Pai' sequestra e dá origem a incêndio na EPATV (ou tratou-se tudo de um simulacro)

SIMULACRO na EPATV…

Hoje (14 maio) , realizou-se um simulacro de sequestro e incêndio na Escola Profissional Amar Terra Verde. Teve como objetivo testar o plano interno de emergência e aferir procedimentos a adotar em caso de uma situação real.

Foto EPATV

Este simulacro foi devidamente preparado em estreita colaboração com o Corpo de Bombeiros Voluntários de Vila Verde, a Guarda Nacional Republicana e o Serviço Municipal de Proteção Civil do Município de Vila Verde.


Um  caso (i)real

A escola foi invadida, pelas 11 horas, pelo ‘pai’ de um aluno em fúria. O encarregado de educação após ter forçado a entrada, procurou a Diretora Pedagógica, Sandra Monteiro, pelas salas de aula. Encontrou-a no laboratório de Biologia com uma professora e a respetiva turma. Após uma acessa discussão com a diretora, ameaçou-a com uma arma branca.

Imediatamente foi informado o Diretor da escola, João Luís Nogueira que deu a ordem de alerta às autoridades e ativação do plano de emergência com evacuação total da escola.

Os alunos da escola, assim que soou o alarme dirigiram-se ao ponto de encontro no campo da feira. Os professores contaram os alunos e aferiu-se a permanência de uma aluna na escola.

A Guarda Nacional Republicana foi informada e enviou uma equipa de intervenção primária PO (patrulha de ocorrência) que avaliou a situação. Chamaram uma unidade especial que procedeu às negociações e neutralização do sequestrante.

Ao ver-se encurralado pelas autoridades, ‘pegou’ fogo à sala, o que levou à solicitação dos Bombeiros Voluntários de Vila Verde. O homem foi dominado pelos militares da GNR.

À chegada dos Bombeiros, foi feita a passagem de COS (Comandante de Operações de Socorro), do comandante da GNR de Vila Verde, Victor Esteves, para o Comandante do Corpo de Bombeiros de Vila Verde, José Lomba, dado que deixou de ser um caso de crime e passou a ser um caso de socorro. É-lhes informado da existência de duas vítimas e um incêndio de grandes dimensões no Laboratório de Biologia. Os bombeiros iniciaram de imediato as operações de busca e salvamento e após encontradas e retiradas as vitimas, prosseguem à extinção do incêndio existente no referido laboratório e ao respetivo rescaldo.

No final das operações de socorro, o Diretor da escola, João Luís Nogueira, procedeu a uma verificação da situação e criou as condições para o regresso à normalidade.

Tratou-se assim de um simulacro destinado a tratar das condições de segurança da escola constatando-se que no caso de um real sequestro as autoridades são extremamente rápidas e eficazes a atuar.

Os BVVV estiveram no local com 9 elementos, apoiados por uma viatura de combate a incêndios e uma ambulância e a GNR com 5 elementos, apoiados por duas viaturas.

Finalizando, temos que salientar o civismo, a forma ordeira e a colaboração demonstrada por todos os envolvidos nesta operação e agradecer a todas as autoridades presentes a sua atenção e disponibilidade.


Nota de imprensa enviada pela EPATV