IV A Bienal na Escola: Criatividade escolar na Biblioteca até 30 de Maio

Ontem presenciamos a abertura da exposição da IV A Bienal na Escola e a consagração dos jovens criadores que tornaram possivel esta iniciativa inserida na 8ª Bienal Internacional de Arte Jovem de Vila Verde. O tema deste ano foi 'Vila Verde, Município Educador'.


Protagonistas, as escolas do concelho (Agrupamento de Vila Verde, Vila de Prado, Moure e Ribeira do neiva, Secundária de Vila Verde e Profisional Amar Terra verde) produziram 27 trabalhos finalistas que foram avaliados por um júri de premiação. Saíram consagrados três Grandes Prémios e 11 menções Honrosas, o que diz bem da qualidade e do talento evidenciados.

Grandes 'culpados' foram os artistas que, generosamente, realizaram oficinas criativas junto dos alunos destes cinco agrupamentos e escolas de Vila Verde. O artista Maciel Cardeira, presidente da d'Arte, o pintor Luís Coquenão, coordenador da Bienal Internacional de Arte Jvem de Vila Verde e o artista Albuquerque Mendes (ausente) orientaram essas oficians e estiveram presentes no dia da atribuição de certificados e prémios, juntamente com o presidente do Município de Vila verde, António Vilela, e da vereadora da Cultura, Educação e Ação Social, Júlia Fernandes, grandes dinamizadores desta iniciativa, e do representante da entidade externa que mais tem prestado o seu apoio, o IPDJ, na pessoa de Rolando Silva.


O Concurso IV A Bienal na Escola distribuiu-se por três escalões, tendo distinguido um vencedor por cada. No 1º escalão, dos mais pequenos, venceu a obra com técnica mista 'Espiral da Vida', um trabalho coletivo das turmas B, C, D, I do 5º ano e D do 6º, um trabalho consagrado pelo pintor Luís Coquenão. O Grande Prémio do 2º Escalão foi entregue à Escola Monsenhor Elísio Araújo, do Agrupamento de Escolas de Vila Verde, pelo trabalho coletivo das turmas do 7º e 8º anos, que resultou na obra 'Let It Be', premiado pela vereadora Dra. Júlia Fernandes. No terceiro Escalão, o Grande Prémio foi arrecadado pela Escola Profissional Amar Terra Verde, com a turma de Design de Equipamento, através do pequeno filme 'Cidade Sonhada'. O reconhecimento foi entregue pelo presidente do Município, Dr. António Vilela.

Estas três obras vão integrar a fase final do concurso da 8ª Bienal Internacional de Arte Jovem de Vila Verde, ficando sujeitas à avaliação do juri desse concurso, cuja exposição vai decorrer entre junho e julho, na Biblioteca Municipal.

Antes disto, foram distribuídos os certificados de Menções Honrosas: três no 1º escalão ('Music Art', 'Um recanto da Cidade' e 'Árvores da Cidade', todos da EB 2,3 de Vila Verde); cinco do 2º escalão ('Mentes Vivas', 'Olhar distinto' e 'Escola que Futuro?' da escola Básica de Moure e Ribeira do Neiva, 'Ruido, I, II, III, IV' da EB 2,3 de Prado', e 'A Risca Tudo' da Escola Monsenhor Elísio Araújo); e três no 3º escalão ( 'Power Oh Life', 'Camadas' e 'Facebook', todas da Escola Secundária de Vila Verde, a última, com um carácter especial, visto que, embora a obra não cumprisse o regulamento, o júri considereou premiar a sua qualidade desta forma).


"Esta iniciativa constituiu, não só uma oportunidade, como um desafio. E é disto que a vida é feita, de desafios. É importante que estes sejam olhados como oportunidades a agarrar, pois temos cada vez mais a intenção de as criar para os jovens desenvolverem as suas competências em várias áreas, como as artes", realçou Dr. António Vilela. O autarca deixou bem clara a inteção do Município: "o nosso objetivo é criar condições de excelência para as nossas escolas".


FP

Como chegar a Vila Verde?